Category Archives: politica industrial

A maior inclusão digital

A maior inclusão digital que está ocorrendo no país, não é via ministérios ou grandes politícas públicas específicas. É simplesmente a explosão de lan-houses na periferia. Em Sussuarana tem em torno de 20 lan houses, que atuam de forma exclusivamente privada, segundo esta matéria do jornal A Tarde.

Uma dica para o Governo? Monte neste cavalo selado, entenda o modelo de negócios deles, desonere quem tiver este tipo de iniciativa e veja este modelo explodir. Veja o que aconteceu com a indústria de PC´s quando foi desonerada.

Etanol Celulósico

Já comentei anteriormente, a vantagem competitiva do Brasil em relação ao etanol pode ser dizimada se conseguirem um processo eficiente para etanol celulósico.

O Vinod Khosla, investidor americano divulgou hoje que uma das suas empresas investidas está construindo a primeira planta de produção comercial de etanol celulósico. O jogo neste caso é o processo mais as enzimas utilizadas para conversão da celulose em alcool. Caso a gente domine, poderemos extrair alcool da cana e do bagaço dela. Caso contrário, talvez eles consigam metódos mais eficientes de produção de alcool e para a gente continuar no jogo deveremos importar esta tecnologia, exportando em forma de $$$ o nosso antigo diferencial competitivo.

Dirceu entrevista Delfim

Não gosto do Dirceu, mas esta entrevista dele com o Delfim está excelente. Recomendo a todos a leitura.

Chávez é resultado da urna, provocado ela cleptocracia que se apoderou da Venezuela

“O capitalismo é muito compatível com a liberdade, mas não é compatível com a igualdade. E o homem, quando se transformou em homo sapiens, teve introduzido no seu DNA um desejo de igualdade. O que torna a economia de mercado moral, para ser aceita, é que reestabeleça certa igualdade de oportunidades.”

Nós temos que voltar a ênfase ao desenvolvimento industrial”

Essa idéia que circula de que o paradigma do Brasil hoje é o Chile, a Austrália, a Nova Zelândia, é um negócio maluco. A Austrália vai ter 25 milhões de habitantes, o Chile 20 milhões e a Nova Zelândia cinco milhões, menor do que a Favela do Alemão. Nós temos que voltar de verdade a ênfase ao desenvolvimento industrial. ”

[José Dirceu] São os juros que atraem capital?

[Delfim Netto] Sim, combinado com a garantia de que você tem uma bruta reserva e não vai fazer bobagem.”

Tem como cortar despesas? Não tem. Nós sabemos que não tem”

A nossa Constituição, do ponto de vista dos direitos humanos está no estado da arte. Onde nós exageramos é que criamos uma sociedade de bem-estar sem recursos.”

[José Dirceu] Há um déficit na integração.

[Delfim Netto] Na verdade nós só reunimos pobres e não tem economia para isso. A desproporção do Brasil é monstruosa. Eu gosto do Mercosul, esse processo de integração tem fundamento, mas podia ser uma zona de livre comércio. “

A influência da NASA no Silicon Valley

Ontem estava no EsAEx ministrando uma palestra e participando de uma mesa de debates. Lógico que em um determinado momento entrou na pauta o assunto compras governamentais. Minha opinião: compras governamentais direcionadas devem ocorrer nos casos de demandas qualificadas para que as empresas adquiram novos conhecimentos e se tornem mais competitivas. Não é comprar mais do mesmo, é comprar algo inexistente e inovador com uma demanda qualificada e objetivo claro. Você quer um objetivo mais claro do que colocar um homem na lua?

Por um acaso, saiu na News.Com uma matéria sobre a influência da NASA no SV. Olhe estes dois trechos mostrando momentos completamente diferentes.

Primeiro momento:

“Several companies in what would become Silicon Valley benefited from the ambitious goals and budget largesse of the Apollo space program,” said Dag Spicer, the senior curator of the Computer History Museum, in Mountain View, Calif. “The stringent quality and performance requirements of (integrated circuits) for Apollo allowed early semiconductor companies to learn at government (that is, public) expense, a technology that would soon have broad application and whose price would plummet as these companies perfected manufacturing methods.”

E em um segundo momento, o cliente governo não era mais desafiador, o mercado já demandava mais que o governo:

“The irony of these early contracts was that, while they were welcome in the early 1960s (when) semiconductor companies were learning how to make integrated circuits, by 1970, government/military work was frequently viewed as a damper on profits and innovation since it took people and resources away from research and development into newer and more profitable commercial products.”

Relatório Reservado – 21 Vidas de Alcantara

Mais Elizabeth abaixo. Vocês se lembram quando ocorreu o acidente da TAM e alguns dias depois os diretores da ANAC receberam condecorações da Aeronáutica? O que aconteceu com o responsável pelo lançamento do VLS?


Um colega em outro forum, mandou este link com imagens de um acidente com um foguete chines tempos atrás.

Abaixo um comentário meu sobre o assunto.

Este acidente de 1996 foi um divisor de aguas no programa espacial chines, ele causou cerca de 50 vitimas. Também não foi o começo do programa Longa Marcha, o primeiro lançamento destes foguetes aconteceu em 1970, até hoje cerca de 104 deles já foram lançados.

As causas deste acidente estão associadas a um erro de programação da referencia inercial do foguete durante a contagem regressiva.

A doutrina de segurança do programa espacial chines é uma das melhores atualmente, a conheço bem.

Um ano antes, em 1995, um acidente na plataforma de lançamento em Kourou matou 2 pessoas

Em 2001 tivemos a morte de um técnico nos EUA por acidente na plataforma de lançamento.

Os EUA não perdiam gente em acidentes na plataforma de lançamento desde 1981 durante a operação de preparação de lançamento da primeira missão do Space Shuttle.

Nestes 2 acidentes, o de 1981 nos EUA, 1995 na Guiana Francesa, aconteceu um dos maiores perigos dos foguetes movidos a hidrogenio liquido, que é a Hypoxia. Como o hidrogenio é muito pouco denso, e sempre vaza mesmo em pequenas quantidades, muitas regiões do foguete são “irrigadas” com nitrogenio, que expulsa o hidrogenio e oxigenio da região (normalmente perto dos impulsores e das valvulas de controle) durante a fase de contagem regressiva. Paralelo a isto, são necessarios trabalhos de inspeção nestas regiões, trabalho que as vezes tem que ser feito pelo olho humano, e ai a tragédia acontece, pessoas inspessionando areas onde existe baixa concentração de oxigenio, e alta concentração de nitrogenio.

Em 2002 um lançador Soyuz não tripulado, explodiu pouco após deixar a plataforma em Plessetsk, matando um jovem soldado de 20 anos que fazia a guarda perimetral da area de lançamento, e descumpriu os procedimentos de segurança que ditam ficar atrás de uma proteção de concreto durante a decolagem, o jovem soldado se expos para visualisar a decolagem do foguete.

Além do acidente do VLS, estes foram os ultimos acidentes envolvendo pessoal em terra na presença do foguete lançador.

Acidentes sem vitimas são mais comuns, a propria China perdeu um CZ-1D, a Rússia chegou a perder 4 lançamentos em 2005, de um total de mais de 40. Os acidentes com foguetes americanos também aconteceram, embora eu tenha mais facilidade para me lembrar de cabeça dos acidentes russos e chineses.

A média normalmente é perder um a cada 25 ou 30 dependendo do foguete.

A questão não é perder foguetes, isto acontece, a questão é o que fazer quando isto acontece.

A 2 anos na Russia haviam problemas crônicos de segurança em uma base de lançamento em especial, o problema não eram os foguetes e sim os processos, o presidente Putin pessoalmente cobrou dos seus agentes espaciais soluções para isto. Em 90 dias tudo estava resolvido, com a mobilização de todos os envolvidos no programa espacial, era uma epoca que se trabalhava 14 horas por dia para revisar todos os processos, no final do ano estava pronto, a Russia lançou 8 foguetes entre lançadores e misseis balisticos, de 3 bases diferentes, em apenas uma semana, todos com sucesso, validando todos os procedimentos novos de segurança. Putin recebia relatorios diarios sobre os trabalhos, e cobrava pessoalmente resultados.

Quando a NASA perdeu seu ultimo onibus espacial, 50 pessoas em cargos de diretoria e alta gerencia perderam os empregos nos meses seguintes.

Quando o VLS explodiu, ninguem perdeu o emprego, o brigadeiro que comandava a operação de lançamento ganhou uma promoção tempos depois.

O relatório oficial do VLS nunca apontou a verdadeira causa do acidente. Existe outro relatório reservado com teor dirente do oficial. A FAB era contra a formação de uma comissão indepentente.

Nunca ninguem foi condenado pelas 21 vidas perdidas em Alcantara.