Category Archives: pessoal

Bola pra frente…

  • Prefeito de Ubaitaba tem prisão preventiva declarada na sexta do terror do TJ baiano. (aqui)
  • Cacciola tem aprovação da extradição para o Brasil. (aqui)

Acabar com a impunidade é o primeiro passo para melhorar o nosso país. Na minha opinião nada é mais importante do que isso. Nem mesmo educação. Se resolvermos a impunidade de forma ampla, as outras coisas melhoram sensivelmente.

Bola pra frente…

Nicolas Taleb – O arauto da incerteza

Nicolas Taleb é uma das boas coisas que li ultimamente. Fooled by Randomness e The Black Swan deveriam ser lidos por todos, traria um pouco mais de humildade perante ao mundo.

Saiu um perfil dele na Times Online da Inglaterra. Depois de embolsar US$ 40 milhões como operador de bolsa, resolveu se voltar a filosofia e escrever um pouco. Ganhamos todos com isso.

O perfil:

http://business.timesonline.co.uk/tol/business/economics/article4022091.ece?token=null&offset=0

Alguns extratos:

And what he knows does not sound good. The sub-prime crisis is not over and could get worse. Even if the US economy survives this one, it will remain a mountain of risk and delusion. “America is the greatest financial risk you can think of.”

He points out, chillingly, that banks make money from two sources. They take interest on our current accounts and charge us for services. This is easy, safe money. But they also take risks, big risks, with the whole panoply of loans, mortgages, derivatives and any other weird scam they can dream up. “Banks have never made a penny out of this, not a penny. They do well for a while and then lose it all in a big crash.”

The biggest danger to human society comes from civil servants in an environment like this. In their attempt to control the ecology, they don’t understand that the link between action and consequences can be more vicious. Civil servants say they need to make forecasts, but it’s totally irresponsible to make people rely on you without telling them you’re incompetent.

Don’t be tempted to play the stock market – “If people knew the risks they’d never invest.”

He believes in aristocratic – though not, he insists, elitist – values: elegance of manner and mind, grace under pressure, which is why you must shave before being executed.

Above all, accept randomness. Accept that the world is opaque, majestically unknown and unknowable. From its depths emerge the black swans that can destroy us or make us free.

Obs: Veja este post no “As Coisas – A probabilidade de envelhecer” falando sobre Nicolas Taleb e como vamos construindo certezas passadas que podem nos levar a desastres futuros.

Eu odeio cartórios

Sinceramente,

4 Bilhões para quê? Acho que cartório é um dos maiores exemplos da nossa vida burocrática de merda. Os funcionários ainda colocam aquele aviso que diz algo como insultar alguem é crime. Sabem que prestam um péssimo serviço (e em muitos casos inútil), são monopolistas e neste caso a única saída é tentar esganar o pescoço do atendente. E ainda custam 4 Bilhões/ano a sociedade???? PARA QUÊ? Eu vou acreditar muito mais neste país no dia que reduzirem imensamente o monopólio e poder dos cartórios.

Querendo uma outra perspectiva cartorial leia no (excelente) blog do Ricardo Cury aqui

Camilo

Cartórios faturam R$ 4 bi por ano com burocracia

Todos os dias, cerca de 7.700 folhas de papel são carimbadas no Cartório do 1º Ofício de Notas de Brasília, um dos mais movimentados da capital. Aparentemente banal, a rotina na indústria do carimbo deste e dos outros 13.595 cartórios brasileiros movimenta um negócio bilionário cujas cifras eram mantidas a sete chaves. Um levantamento inédito, feito pela corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), revela o real preço da burocracia. Em 2006, os cartórios brasileiros arrecadaram, juntos, R$ 4 bilhões.

Pousando em San Francisco

Para quem já acompanha o blog faz um tempo deve se lembrar do susto que eu passei quando eu estava em um vôo e o TCAS funcionou. Imaginem como eu fiquei olhando o avião abaixo chegando cada vez mais perto… E eu pensando em gritar para o piloto que eu não estava afim de brincar de esquadrilha da fumaça com 767.

Pouso 1
Pouso 2
Pouso 3
Pouso 4

Não é brincadeira isso… (by Laert Yamazaki)

Sou homem, maior de idade.
“Maravilha. Delícia. Já estou imaginando aqui essa carne nova, tenra, pele macia e ainda cheirando a leite. Talvez não seja apenas uma sessão de fotos. Acho que vou tentar mais que isso, quem sabe não consigo brincar um pouco com ela. A carinha de assustada me excita, me deixa satisfeito. É a mistura de medo e prazer…delícia. Toda cautela será necessária na hora de falar as coisas. Tenho que me certificar de que isso não vai dar problema. Mas preciso fazer isso…adoro. E as fotos…preciso de fotos. Preciso trocar algumas fotos na internet. Isso tá virando um vício já…mas eu gosto. Delícia. Tão delicada, tão inocente…nem vai saber o que está fazendo. Ainda é muito novinha. Peitinho ainda nem cresceu…delícia”.

Sou criança, menor de idade.
“Hmmmm, balinhas e sorvete. Tudo o que eu queria mesmo. Quero de chocolate que é mais gostoso. Que horas é que o tio vai me dar os presentinhos? Será que tem boneca? Vou pentear os cabelos e passar batom, ela vai ficar linda para a festa de hoje de noite. O vestido eu quero rosa e os sapatos brancos. Quero mostrar pra Priscila, ela vai adorar. Se minha mãe deixar eu levar pra escola, né? Espero que deixe, pois, minha boneca vai ser a mais bonita de todas. E vamos fazer um desfile. A gente junta duas mesas e vira uma passarela. Que horas o tio vai me dar o sorvete? Eu não quero brincar disso não. Dói.”

É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-las a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.

(Artigo 227 da Constituição Federal)

Denuncie esse tipo de absurdo

Buffet apoia o Bolsa Família como estratégia de crescimento.

O problema é a porta de saída….

Vejam o trecho abaixo e depois vejam a transcrição completa. Gates diz que se Buffet nascesse em outra época ancestral , seria comida de animal…

http://undergroundvalue.blogspot.com/2008/02/notes-from-buffett-meeting-2152008_23.html

Emory:

What do you think of aggregate infrastructure investment to stimulate the economy?

Buffett:

I think the best way to stimulate the economy is to give money to the poor. They will spend it. Don’t give it to guys like me. Infrastructure investment makes sense, but we haven’t done it in a while and it won’t do anything for the next 6-12 months. Infrastructure is not big relative to GDP. We are a consumer-driven society, spending 106% of production.